fbpx

Princípio da PNL: Todo comportamento tem uma Intenção Positiva.

Sumário

Um dos princípios mais importantes, mas muitas vezes incompreendidos (e, portanto, controversos) da PNL é o da ‘intenção positiva’. Simplificando, o princípio afirma que, em algum nível, todo comportamento é (ou em algum momento foi) “intencionado positivamente“. Outra maneira de dizer isso é que todo comportamento serve (ou ao mesmo tempo serviu) a um “propósito positivo”.

A intenção positiva por trás do comportamento ‘agressivo’, por exemplo, é muitas vezes ‘proteção’. A intenção ou propósito positivo por trás do ‘medo’ geralmente é ‘segurança’. O propósito positivo por trás da raiva pode ser ‘manter limites’. O ‘ódio’ pode ter o propósito positivo de ‘motivar’ uma pessoa a agir. As intenções positivas por trás de algo como ‘resistência à mudança’ podem abranger uma série de questões; incluindo o desejo de reconhecer, honrar ou respeitar o passado; a necessidade de se proteger permanecendo com o familiar e a tentativa de se apegar às coisas positivas que se teve no passado, e assim por diante.

Mesmo os sintomas físicos podem servir a um propósito positivo. A PNL vê qualquer sintoma, incluindo sintomas físicos, como uma comunicação de que algo não está funcionando adequadamente. Os sintomas físicos geralmente sinalizam para as pessoas que algo está fora de equilíbrio. Às vezes, os sintomas físicos são até um sinal de que algo está sendo curado.

“Ações ruins também têm intenções positivas”

Às vezes, um determinado comportamento ou sintoma problemático pode até servir a várias intenções positivas. Por exemplo, pessoas que queriam parar de fumar, por exemplo, que descobriram que isso servia para muitos propósitos positivos. Fumavam de manhã para “acordar”. Fumavam durante o dia para “reduzir o estresse”, “concentrar” e, paradoxalmente, “lembrar de respirar”. Fumavam à noite para “relaxar”. Muitas vezes, fumar serviu para encobrir ou ‘nublar’ emoções negativas. Talvez o mais importante, fumar era a única coisa que eles faziam “só para si mesmos” para trazer algum prazer às suas vidas.

Outro princípio básico da PNL, que está relacionado com a intenção positiva, é que é útil separar o “comportamento” do “eu” – isto é, separar a intenção positiva, função, crença, etc., que gera um comportamento do próprio comportamento. Em outras palavras, é mais respeitoso, ecológico e produtivo responder à ‘estrutura profunda’ do que à expressão superficial de um comportamento problemático. Uma consequência da combinação desse princípio com o princípio da intenção positiva é que, para mudar o comportamento ou estabelecer alternativas viáveis, as novas escolhas devem, de alguma forma, satisfazer o propósito positivo do comportamento anterior. Quando as intenções e propósitos positivos de um estado problema ou sintoma não foram satisfeitos, então, ironicamente, até mesmo “normal” ou “

De acordo com outro princípio básico da PNL – o de ‘acompanhar e liderar’ – a mudança efetiva envolveria primeiro ‘acompanhar’, reconhecendo as intenções positivas por trás do comportamento existente. ‘Liderar’ envolveria ajudar o indivíduo a ampliar seu mapa do mundo a fim de encontrar escolhas mais apropriadas para alcançar com sucesso essas intenções positivas. Essas escolhas permitiriam que a pessoa preservasse a intenção ou propósito positivo por diferentes meios. Isto é o que as várias técnicas de PNL de ‘reenquadramento’ tentam realizar.

Por que as pessoas se opõem ao princípio da intenção positiva

Por um lado, o princípio da intenção positiva – e a abordagem da mudança descrita acima – parecem bastante naturais e eficazes. No entanto, a noção de ‘intenção positiva’ também gerou muitas críticas e ridicularização; mesmo por alguns membros da comunidade de PNL. As objeções vão desde a percepção de que é mais teórico e filosófico do que prático, até a crença de que é absolutamente perigoso. Um dos propósitos deste artigo é reconhecer e abordar algumas dessas preocupações.

E se eu não conseguir encontrar nenhum propósito positivo no passado?

Em algumas situações, a função positiva de um sintoma ou comportamento não fazia parte das circunstâncias iniciais, mas era estabelecida mais tarde como um “ganho secundário”. Por exemplo, uma pessoa pode não ter a intenção de ficar fisicamente doente, mas mesmo assim recebeu muita atenção e alívio de suas responsabilidades quando ficou doente. Essa atenção e alívio, recebidos como um “resultado positivo” da doença, podem se tornar um ganho secundário – indicando áreas de desequilíbrio na vida da pessoa que precisam ser abordadas e trabalhadas. Se eles não forem tratados adequadamente, a pessoa pode repetir esses padrões.

Saiba mais referente a data do nosso próximo Workshop de PNL presencial e também conheça os nosso Cursos Online. Se ainda não fez nenhum de nossos Cursos, você pode começar pela Introdução à PNL. (link aqui)

Gostou do conteúdo? Deixa um comentário e envia esse post para seus contatos.

Meu instagram @fernandobecker.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.